Métricas podem potencializar resultados do departamento jurídico

publicado 12/12/2013 14h45, última modificação 12/12/2013 14h45
São Paulo - Além de contribuir com estratégia da empresa, sistema favorece o gerenciamento da área
jose-moscati-9807.html

Tradicionais em áreas ligadas ao core business, as métricas podem impactar os resultados das empresas também por meio do departamento jurídico. A ferramenta, também chamada de KPI (key performance indicator, ou indicador-chave de desempenho), possibilita o gerenciamento do setor, considerando todos os seus recursos.

“Mais comuns em administração, as métricas são importantes para o departamento mostrar à empresa o valor que tem para o negócio. Elas ajudam a área se autorregular, impedindo que o jurídico se torne uma caixa preta”, esclarece José Moscati, diretor Jurídico da Accenture, que abordou o tema no comitê estratégico de Diretores e Vices-presidentes Jurídicos da Amcham – São Paulo, quarta-feira (11/12).

Ele comenta que assunto não é usual nos currículos universitários, mais direcionados para leis, com viés contencioso. Mas os resultados levam ao avanço da atividade, defende.

“Estabelecendo métricas, é possível acompanhar com clareza como o setor está agindo, se a gestão está adequada, e se a atuação dos profissionais internos e externos está dentro do esperado. Ou seja, é possível mensurar se o uso dos recursos humanos e financeiros segue a estratégia da empresa”, avalia.

Na prática

Moscati explica que as métricas permitem verificar se um projeto tem sucesso ou não, e, nesse último caso, mostra mais facilmente se a raiz do problema foi jurídico ou técnico, proveniente de outra área da empresa.

Os efeitos desse sistema são sentidos também na hora de realizar contratos, tarefa usual de advogados de empresas. Métricas que abrangem a qualidade dos contratos, por exemplo, podem evitar perdas de margem de projetos, reduzindo problemas de entrega do serviço.

“Se você tem um contrato claro[ que é feito pelo jurídico] e identifica o problema, o cliente sabe o que está comprando e a empresa sabe o que está vendendo. Isso ajuda a diminuir perdas e aumentar o ganho do negócio”, pontua.

Outro exemplo de como os KPIs são úteis ao departamento jurídico é a identificação de oportunidades por meio de novas formas de negócios, como as PPPs (parcerias público-privadas). “Se há sintonia entre o jurídico e as vendas, o advogado visualiza a possibilidade e já desenvolve o framework para suportar essa oportunidade de negócio”, exemplifica.

registrado em: