Big data abriga novas estratégias de relacionamento com clientes

por simei_morais — publicado 20/05/2013 11h52, última modificação 20/05/2013 11h52
São Paulo – Diretor do Ibope/dtm abordou mineração de dados no comitê estratégico de Marketing
big_foto01.jpg

Um conjunto de informações simples como endereço, hora da compra efetuada e forma de pagamento pode ajudar a compor um rico perfil de cliente e impactar o marketing de relacionamento, se associado a dados de outras fontes, abrigadas no conceito de big data. “Entra na análise tudo o que estiver disponível, tanto informações públicas quanto as levantadas pelas próprias empresas. Você detalha e divide as descobertas [com as empresas]”, explica Bernardo Canedo, diretor executivo do Ibope/dtm.

Ele falou ao site após sua apresentação no comitê estratégico de Marketing, na Amcham – São Paulo, quarta-feira (15/08). O foco da apresentação foi o datamining, que pode ser traduzido como a mineração de dados no big data.

As informações podem passar por análises, estatísticas e avaliações comportamentais e resultar em novas perspectivas e estratégias de negócio, o que pode servir não só ao marketing, mas a outras áreas, como finanças e logística. “As empresas naturalmente capturam as informações e armazenam. Algumas não têm noção do valor disso e as armazenam com displicência, mas outras sabem o tesouro que têm dentro de casa”, comenta.

Relações

Especializado em marketing de relacionamento, Canedo diz que o relacionamento com clientes parte da premissa que a empresa tem de lidar com informações. Ele cita, como exemplo, um supermercado que identifica o perfil de um cliente por meio dos hábitos de compra.

“À medida que o supermercado consegue enxergar [o perfil], a forma de se relacionar com o cliente muda. A empresa pode agrupar clientes com o mesmo perfil e direcionar ações a esse grupo”, diz.

O diferencial, diz Canedo, é como lidar com essas informações já disponíveis. “O big data é baseado em consumo de informações, mas não substitui o ser humano por trás. Tem de saber fazer a pergunta certa para a base de dados para extrair o que se pretende. O big data é acompanhado de profissionais que sabem lidar com informação”, declara.

registrado em: