Consultor explica como identificar profissionais empreendedores nas empresas

publicado 29/03/2016 14h18, última modificação 29/03/2016 14h18
São Paulo – Marcos Ronsoni (SBDC) afirma que 15% dos colaboradores demonstram perfil inovador
marcos-ronsoni-7496.html

É fácil identificar um profissional com características empreendedoras: pensar como dono e buscar autodesenvolvimento constante são características fundamentais, segundo Marcos Ronsoni, presidente da Sociedade Brasileira de Desenvolvimento Comportamental (SBDC), que esteve no Café de Relacionamento da Amcham – São Paulo, terça-feira (29/3). Os profissionais de perfil empreendedor são minoria dentro das empresas, porém são os que mais inovam, de acordo com o consultor.

“15% dos profissionais têm características comportamentais de empreendedor corporativo. É claro que não vou ter uma empresa só com gente desse perfil, mas preciso delas em posições chave para que se tornem protagonistas da organização”, afirma, no Café de Relacionamento da Amcham – São Paulo que aconteceu na terça-feira (29/3).

Ronsoni disse que esses profissionais normalmente têm visão inovadora do problema e enxergam soluções estratégicas para a organização que trazem resultados. Isso não significa necessariamente a criação de produtos inovadores, mas a reinvenção de processos ou formas de aumentar a produtividade da empresa.

Ter objetivos claros, pensar como dono e buscar autodesenvolvimento constante são características fundamentais de um empreendedor corporativo, conforme Ronsoni. “Eles se destacam pela atitude e se preocupam com as estratégias da empresa. São pessoas que conseguem liderar sua base para fazer bem seu trabalho e propor melhorias.”

 

O foco no sucesso também é uma característica forte dos profissionais inovadores, segundo Ronsoni. “Não existe empreendedor corporativo acomodado. Essa cara precisa ter na cabeça aonde quer chegar. Independente de ser gerente ou diretor, o que ele quer é ser bem sucedido.”

Para aproveitar a energia desses profissionais, é preciso contar com pessoas competentes e incentivo organizacional. “Se quero ter pessoas empreendedoras, preciso investir na seleção de pessoas que tenham essas características e permitir que elas façam o trabalho”, comenta Ronsoni.

A estrutura organizacional também deve permitir o desenvolvimento desses profissionais. Se a cultura da empresa é hierárquica, então as pessoas não terão as condições ideais de apresentar ideias, explica o consultor. “O gerente vai abafar as ideias do coordenador e assim por diante.”

Uma empresa voltada ao empreendedorismo tem que estimular o desenvolvimento dos profissionais mais talentosos, premiar o mérito e permitir a troca de ideias. “Nesse ambiente, é possível surgir novos empreendedores.”

registrado em: