Empreendedor tem obrigação de estar envolvido totalmente no negócio, ensina cofundador do Buscapé

por marcel_gugoni — publicado 28/05/2012 15h45, última modificação 28/05/2012 15h45
São Paulo – Superar o medo e saber se comunicar para motivar a equipe também são passos importantes do desafio de abrir a própria empresa, elenca Rodrigo Borges.
borges195.jpg

Ter a própria empresa é um desafio que exige, além de paixão, investimento de tempo e dinheiro. Rodrigo Borges, cofundador e vice-presidente do site de comparação de preços Buscapé, diz que o foco maior de qualquer empreendedor tem de ser estar completamente dedicado a colocar o negócio para funcionar. “É preciso estar envolvido totalmente”, afirma.

Veja também: Empreendedores apontam os dez principais passos para iniciar e tocar o próprio negócio

Segundo Borges, o primeiro passo é superar o medo. Em seguida, vem a motivação da equipe. “O negócio pode ser inovador, mas, se o mercado não está preparado para receber aquilo, é preciso fazer as pessoas dentro da empresa acreditarem e continuarem trabalhando”, defendeu ele.

Leia mais: Receita de empreendedorismo é resultado de mescla de inovação e execução

Em entrevista ao site após participar do ‘Encontro de Empreendedores’, que a Amcham-São Paulo realizou na quinta-feira (24/05), Borges disse que a perseverança também é uma importante ferramenta na hora percorrer o caminho do empreendedorismo. “Uma reserva também ajuda a se preparar para este momento”, revela. 

Leia os principais trechos da entrevista com Rodrigo Borges:

Amcham: Como foi, para o sr., começar um negócio do zero?

Rodrigo Borges: O segredo é ter foco. É preciso superar o medo, e uma reserva também ajuda a se preparar para este momento.

Amcham: Quais são os maiores desafios desta questão?

Rodrigo Borges: Há muitos. O maior deles é lidar com as pessoas, no sentido de ser um líder e conseguir motivar quem trabalha junto. O negócio pode ser inovador, mas, se o mercado não está preparado para receber aquilo, é preciso fazer as pessoas dentro da empresa acreditarem e continuarem trabalhando tanto quanto você. Vejo que é necessária uma soma de perseverança, boa comunicação e motivação do time.

Veja aqui quais são as vantagens de ser sócio da Amcham

Amcham: Qual a maior lição aos empreendedores?

Rodrigo Borges: O foco é essencial. Se não tiver isso, o negócio não existe. É preciso estar envolvido totalmente no negócio. Eu mesmo não trabalho oito, 12 horas no Buscapé. Trabalho 24 horas. Todo momento é trabalho: em uma palestra, em um passeio com os amigos, durante uma visita a clientes, no final de semana vendo o que os concorrentes estão fazendo. Sempre.

Amcham: Se pudesse voltar atrás, deixaria de empreender?

Rodrigo Borges: Acho que não. Inclusive já havia tentado outras duas empresas [antes de abrir o Buscapé].

Quer participar dos eventos da Amcham? Saiba como se associar aqui

Amcham: Como lidar com o fracasso, tendo em vista que este é um risco inerente a qualquer negócio?

Rodrigo Borges: A melhor solução é sempre tentar de novo, achar uma nova saída. Se, na essência, ela a pessoa é empreendedora,a tem que tentar de novo. Se ela acredita no negócio e está completamente envolvida, pode dar certo. O que não vale a pena é ser um mal empreendedor. Às vezes acontece de a empresa estar mal estruturada. Há muitas outras variáveis que podem afetar o negócio. Mas acho que tentar de novo e persistir é importante.

registrado em: