Era digital só ajudou no networking, afirma especialista

publicado 05/09/2013 17h16, última modificação 05/09/2013 17h16
Recife - Consultor deu dicas de estratégias de relacionamento na web
digital-foto01.jpg-9005.html

 

A internet é fundamental para fazer e manter contatos no meio empresarial. A conclusão é do Rei do Networking, Thomas Reaoch, CEO da empresa de treinamento empresarial RC Invest, que palestrou sobre o assunto para um grupo de associados durante um Workshop de Networking realizado na manhã desta quinta-feira (05/09), na Amcham-Recife.

“A Era Digital só incorporou aspectos positivos ao networking. Eu, por exemplo, consegui gerar relacionamentos mundiais”, comentou Reaoch, que ainda apontou as melhores ferramentas do mundo virtual quando o assunto é relacionamento profissional. Linkedin, Twitter e Blogs foram os mais indicados, com destaque para o primeiro. “Nessa rede social, o foco é sempre business, ou seja, para quem quer aumentar sua rede de conhecimento empresarial, com finalidade de fazer negócio, esse é o lugar certo”.

Para estar sempre aparecendo, a dica é atualizar sempre seus dados do perfil virtual, focando na experiência de formação, profissional e, principalmente, na apresentação da foto. “A imagem é o que mais chama atenção na página. É recomendável tirar foto do rosto e estar de roupa de trabalho”, acrescentou.

O especialista explicou que as redes sociais possibilitam investigação e contato facilitado para quem tem dificuldade com apresentação pessoal. Ainda de acordo com Reaoch, além de poupar tempo, as relações através da internet economizam custos e potencializam a produtividade.

Dificuldades do Networking no Estado

Um fator apontado como uma das maiores dificuldades do networking no Estado foi a cultura do individualismo. Segundo alguns executivos presentes no evento, o temor do julgamento precipitado afeta até os empresários que estão sempre em busca de contatos . “Penso que aqui no Recife seja uma questão de cultura. O medo de passar vergonha faz com que as pessoas sejam mais fechadas”, afirmou Henrique Campos, sócio da Hevile.

registrado em: