Em um mês, Amcham economiza 40 mil litros de água com caixas para captação de chuva

por marcel_gugoni — publicado 16/05/2012 18h28, última modificação 16/05/2012 18h28
São Paulo – Ação é mais um passo para fazer da unidade da capital paulista um prédio verde e obter reconhecimento internacional

As chuvas de abril permitiram à Amcham poupar mais de 40 mil litros de água em sua sede em São Paulo. Este foi o resultado do primeiro mês em que funcionaram os novos reservatórios construídos no Business Center da rua da Paz, na zona sul da capital paulista. O volume representa quase a totalidade dos 45 metros cúbicos dos reservatórios, capazes de armazenar 45 mil litros de água da chuva.

Quer participar dos eventos da Amcham? Saiba como se associar aqui

A água economizada é reutilizada, principalmente, na descarga dos sanitários e para regar os jardins. A ação é mais um passo da Amcham para fazer de seu Business Center em São Paulo um prédio verde e obter reconhecimento internacional, concedido pela certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) na categoria de edifícios existentes. Desde o ano passado o prédio passa por reformas. 

Daniela Aiach, diretora de Eventos da Amcham, diz que a etapa atual é de iniciar as atividades para o cumprimento dos pré-requisitos para o Leed.

Veja aqui quais são as vantagens de ser sócio da Amcham

A Amcham está realizando também a instalação de medidores inteligentes de consumo de energia no prédio. Eles marcarão separadamente os gastos com eletricidade em cada atividade, começando com a medição do gasto com ar-condicionado para, em seguida, mesurar o consumo com energia dos computadores, das salas do prédio e de outras áreas. 

“Outro pré-requisito do LEED é a eficiência na renovação do ar. O andar administrativo deve ser rearranjado e ter um novo layout para que passemos a priorizar as janelas e as saídas de ar do prédio”, adianta Daniela. 

Para ela, a fase atual é uma das mais críticas para o processo de certificação. “Isso porque requer a implementação dos medidores, a adoção de políticas de compras sustentáveis e o controle rigoroso das práticas dos fornecedores. O LEED exige 12 meses de medição e cinco meses de análise da documentação, que é traduzida e enviada ao USGBC (órgão certificador). “Após esse período, saberemos em que nível da certificação o prédio vai se encaixar. Estamos trabalhando para alcançar o primeiro nível da certificação, o chamado Certified”, adianta Daniela. 

Regras de sustentabilidade 

O LEED é um sistema de certificação e orientação ambiental de edificações. Criado pelo US Green Building Council, é o selo de maior reconhecimento internacional e o mais utilizado em todo o mundo, inclusive no Brasil, e baliza a condução e a adoção de práticas de Green Building em um processo integrado de concepção, construção e operação de edificações e espaços construídos.

Veja mais: Prêmio ECO abre inscrições para sua 30ª edição; saiba como participar

A certificação concedida varia conforme o tipo de construção ou adaptação sustentável feita, em novos prédios ou reformados, a partir de projetos exteriores ou só da parte interna do prédio, em lojas, escolas ou unidades de saúde etc. Há selos conforme a pontuação de uma lista das diferentes práticas adotadas – da captação da água das chuvas até o controle da cadeia de fornecedores e da destinação do lixo. O Certified é o primeiro nível, sucedido por Silver, Gold e Platinum.

Construções verdes 

Segundo dados do GBC Brasil, o País é o quarto no ranking mundial de construções verdes com 51 prédios certificados e 525 em processo de certificação, atrás apenas de Estados Unidos, Emirados Árabes Unidos e China. 

Esses processos são importantes para a Amcham, que já é reconhecida por promover a premiação de sustentabilidade pioneira no Brasil, o Prêmio Eco, que completa em 2012 seus 30 anos. “Temos que dar o exemplo. A certificação é importante para nos tornarmos referência e ficar à frente dessas práticas no Brasil”, avalia Daniela.

registrado em: