#BrasilPeloMeioAmbiente: inspire-se com o case de sustentabilidade da AES

publicado 15/10/2021 16h05, última modificação 25/10/2021 10h40
A empresa criou o Programa Mãos na Mata para restauração de mata nativa em torno de seus reservatórios e incentivo à preservação e conservação de parceiros
#BrasilPeloMeioAmbiente: inspire-se com o case de sustentabilidade da AES

Com o objetivo de restaurar a mata nativa entorno de seus reservatórios, a AES Brasil criou o Programa Mãos na Mata. Trabalhando em conjunto com parceiros, a iniciativa que é um dos destaques do nosso Movimento Brasil Pelo Meio Ambiente, já reflorestou 4.443 hectares e pretende reflorestar mais 1.965 hectares até 2029.   

O projeto vai muito além da preservação obrigatória por lei. Segundo Emerson Viveiros, coordenador das condicionantes de licenciamentos da AES Brasil, de 2009 a 2017, a empresa desenvolveu muitas iniciativas de restauração ecológica no entorno dos reservatórios e em parceria com produtores rurais, mas apenas focados em plantio de mudas, se limitando à interface entre a AES e os executores.  

“Percebemos que todo o conhecimento que vínhamos adquirindo ao longo de anos de experiência em restauração estava ficando dentro da empresa e vimos uma oportunidade de levar isso para fora”, menciona. Foi a partir daí que, em 2017, foi criado o “Mãos na Mata”, que hoje dá oportunidade de acesso a informações técnicas de restauração ecológica, insumos – mudas e sementes de árvores nativas – e aborda outras temáticas como a conservação da fauna, qualidade da água, etc.  

Para o executivo, esse foi o grande trunfo do projeto. “Um dos maiores valores que podemos levar é o conhecimento. E, a partir disso, conseguimos ampliar a quantidade de área restaurada, não apenas dentro da empresa, mas fora dela também, apoiando quem teminteresse em realizar esses trabalhos, mas não tem oportunidade e/ou conhecimento técnico”, celebra.  

PARCERIAS 

Além das comunidades e proprietários rurais, a AES trabalha em parceria com outras empresas. Dentro de áreas próprias, a AES tem uma meta anual de reflorestamento e pode desenvolver parcerias para atingir essa meta. “Temos área disponível para restauração e interessados em cumprir compromissos. Assim, nos unimos para ceder área, mudas, apoio técnico, acompanhamento, etc.”, explica Rafael Paranhos, engenheiro de meio ambiente da AES Brasil.  

Para isso, existem três modelos: compensação obrigatória, plantio voluntário e modelos customizados. Dos 409 hectares plantados em 2016 pela empresa, 295 foram por meio de parcerias, ou seja, 72% do total. Já em 2017, dos 297 hectares plantados, 265 foram através de parcerias, após olançamento do programa Mãos na Mata.

Na compensação obrigatória, empresas que precisem fazer compensações previstas pela lei podem utilizar áreas disponíveis pela AES destinadas ao plantio de terceiros. O programa de plantio voluntário é semelhante, mas, neste caso, não é a companhia elétrica que realiza a ação, ela apenas disponibiliza áreas, auxilia no diagnostico, disponibiliza mudas de árvores nativas e capacitação de equipe técnica, se necessário.,.

Para os modelos customizados, a AES atua como facilitadora de trabalhos com ONGs, em projetos que demandem área, mudas, ou orientação técnica. Nesse caso, o plantio pode ser feito na área da AES ou fora dela– para recuperação de nascentes, por exemplo.

COMPROMISSO AMBIENTAL   

A iniciativa da AES é um dos cases de destaque do nosso movimento #BrasilPeloMeioAmbiente, que pretende reforçar o compromisso ambiental do setor empresarial no Brasil. Por meio de um inventário, que pode ser baixado clicando aqui, promovemos o que as empresas estão fazendo de melhor em sustentabilidade no país. Qualquer empresa pode cadastrar iniciativas para serem avaliadas e, se aprovadas, inseridas no documento. Clique aqui para enviar seu projeto.    

O movimento terá duração até a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26), em novembro deste ano, em Glasgow. Ao final, o inventário será encaminhado para os principais formuladores de políticas públicas no Brasil e nos Estados Unidos. Até agora, já recebemos um total de 125 iniciativas empresariais, 74 empresas participantes e calculamos a soma de R$ 12,7 bilhões em investimentos até o final de 2021 (estimativa).