#BrasilPeloMeioAmbiente: Inspire-se com o case de sustentabilidade da Cargill

publicado 02/09/2021 16h25, última modificação 02/09/2021 16h25
Empresa deu aporte inicial de U$ 30 milhões para criação do Land Innovation Fund, fundo de investimento em iniciativas inovadoras para zerar o desmatamento na cadeia da soja
Brasil Pelo Meio Ambiente Amcham.png

Para livrar, a cadeia de abastecimento da soja de desmatamento e conversão, foi lançado, em janeiro de 2021, o Land Innovation Fund for Sustainable Livelihoods. O aporte inicial de U$ 30 milhões foi feito pela Cargill, empresa destaque do nosso movimento Brasil Pelo Meio Ambiente. O Fundo é administrado pela Chemonics International.  

A iniciativa busca acelerar opções inovadoras e economicamente viáveis para os agricultores da América do Sul como alternativas para a conversão de florestas e outras vegetações nativas nos biomas Amazônia, Cerrado e Gran Chaco. O Fundo é projetado, principalmente, para envolver as principais partes interessadas e apoiar inovações que alcancem maior produtividade por meio de práticas sustentáveis.  

O Land Innovation Fund pretende trabalhar com diversos parceiros estratégicos na Argentina, na Bolívia, no Brasil, no Paraguai e no Uruguai por meio do financiamento, da prestação de assistência técnica e da construção de parcerias, que garantam que a soja utilizada na região seja produzida de forma responsável.  

“Como não existe uma solução única capaz de garantir a coexistência de florestas e agriculturas, é preciso trazer à tona diferentes ideias para encontrar soluções de forma inclusiva e escalável”, avalia Renata Nogueira, gerente de Sustentabilidade da Cargill. 

As iniciativas que desejarem ser apoiadas devem seguir a estes critérios: gerar aumento de produtividade por meio de práticas sustentáveis, mecanismos e abordagens que incentivem produtores a conservar e restaurar florestas e vegetações nativas e ações capazes de mobilizar redes e recursos em prol da transformação da cadeia produtiva da soja. 

 

UNIÃO FAZ A FORÇA 

Embora a multinacional agrícola seja a investidora inicial do Fundo, ele atua de forma independente. “A Cargill é parte de um Conselho de Governança, eles acompanham nossas ações e aprovam as propostas apresentadas, mas transcendemos as atividades de uma empresa só”, explica Carlos E. Quintela, diretor do Land Innovation Fund. 

Segundo o executivo, o objetivo da administradora de investimentos é trabalhar com todas as empresas e atores do setor. “Essa foi uma decisão muito clara da Cargill, que entendeu muito bem que o problema da falta de sustentabilidade da soja não se limita a um ator só: todos devem atuar juntos para que funcione”, menciona, lembrando que parcerias são um elemento muito central dentro da estratégia do Fundo.  

 

A TODO VAPOR 

Inicialmente, foram selecionados cinco parceiros para os sete projetos iniciais financiados pelo Land Innovation Fund: a Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (AIBA); o Centro Integrado de Manufatura e Tecnologia do SENAI (CIMATEC); a Fundação Solidaridad Latinoamericana (FSLA); o think thank Agroicone; e o hub de inovação especializado no agronegócio, AgTech Garage, que, por sua vez, contará com a parceria estratégica da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação (EMBRAPII).   

“Queremos assegurar que esses esforços serão bem-sucedidos e de longo prazo construindo uma rede de parceiros que compartilhem os mesmos objetivos e complementem uns aos outros”, afirma Carlos. 

Conheça os primeiros parceiros e os projetos que serão implementados com o apoio do Land Innovation Fund:  

 

- Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (AIBA): maior associação de produtores rurais no oeste da Bahia, Brasil. Será responsável pela coordenação das atividades de campo e de comunicação para as iniciativas do Centro Integrado de Manufatura e Tecnologia do SENAI (CIMATEC) e da Solidaridad Brasil, ajudando a engajar fazendeiros da região na promoção de práticas agrícolas sustentáveis.  

- Centro Integrado de Manufatura e Tecnologia do SENAI (CIMATEC): instituição líder em pesquisa, inovação e serviços tecnológicos localizada em Salvador, Brasil, coordenará dois projetos distintos pelo Fundo, ambos no bioma Cerrado no oeste da Bahia: desenvolvimento de um sistema de inteligência territorial e de monitoramento ambiental, para gestão de dados e indicadores socioeconômicos e ambientais; e realização de um hackaton, competição online em parceria com a Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia, para identificar e implementar as melhores soluções.    

- Fundação Solidaridad Latinoamericana (FSLA): organização internacional da sociedade civil com mais de 50 anos de experiência no desenvolvimento de cadeias agropecuárias sustentáveis, também coordenará duas iniciativas apoiadas pelo Fundo: na região de Cerrado no Oeste da Bahia, fará a capacitação de produtores locais para o uso de boas práticas; e no bioma do Gran Chaco, apoiará o fortalecimento de plataformas multi-stakeholder na Argentina e na Bolívia, e o desenvolvimento de uma plataforma multi-stakeholder no Paraguai.  

- Agroicone: think thank dedicado ao desenvolvimento de políticas públicas inovadoras em favor da agricultura sustentável que vai trabalhar junto aos governos estaduais da região do Matopiba – que engloba os Estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, responsável por grande parte da produção de grãos do país atualmente – em busca de soluções e incentivos fiscais que apoiem o setor privado na criação de uma agenda de restauração florestal em propriedades agrícolas privadas dedicadas à produção da soja.  

- AgTech Garage: hub de inovação destinado ao desenvolvimento de soluções tecnológicas que aumentem a sustentabilidade e a competitividade no agronegócio. Irá apoiar empreendedores no desenvolvimento de novas tecnologias para uma soja sustentável e livre de desmatamento em toda a cadeia produtiva da commodity, do plantio à comercialização, conectando-os a mentores, parceiros de negócios e especialistas técnicos, acompanhando a startup durante todo o ciclo de vida do projeto.  

 

COMPROMISSO AMBIENTAL  

A iniciativa da Cargill é um dos cases de destaque do nosso movimento #BrasilPeloMeioAmbiente, que pretende reforçar o compromisso ambiental do setor empresarial no Brasil. Por meio de um inventário, que pode ser baixado clicando aqui, promovemos o que as empresas estão fazendo de melhor em sustentabilidade no país. Qualquer empresa pode cadastrar iniciativas para serem avaliadas e, se aprovadas, inseridas no documento. Clique aqui para enviar seu projeto.   

O movimento terá duração até a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26), em novembro deste ano, em Glasgow. Ao final, o inventário será encaminhado para os principais formuladores de políticas públicas no Brasil e nos Estados Unidos. Até agora, já recebemos um total de 113 iniciativas empresariais, 68 empresas participantes e calculamos a soma de R$ 12,7 bilhões em investimentos até o final de 2021 (estimativa).  

Para Renata, o #BrasilPeloMeioAmbiente reúne muitas iniciativas empresariais inspiradoras. “É justamente na união de esforços que a Cargill vê oportunidade de endereçar os desafios globais urgentes como alimentação, mudanças climáticas, desenvolvimento social, entre tantos.”, finaliza.