Parceria com fornecedores é fundamental para construir estratégia de sustentabilidade, segundo CEO do McDonald's

publicado 18/10/2016 08h28, última modificação 18/10/2016 08h28
São Paulo – Rede fechou compra de carne sustentável em agosto deste ano
paulo-camargo-6720.html

Em agosto deste ano, a rede McDonald's anunciou a compra de carne produzida em áreas com práticas sustentáveis. A parceria com o programa Novo Campo, iniciativa da ONG Instituto Centro de Vida (ICV), busca promover uma pecuária sustentável na região da Amazônia, aliando uma maior produtividade a conservação ambiental.

Para Paulo Camargo, Presidente da divisão Brasil do McDonald's, essa parceria com fornecedores é fundamental para construir uma estratégia sustentável. "Temos responsabilidade no que diz respeito à emissão de gases do efeito estufa e queremos fazer parte da solução. O primeiro desafio é influenciar a cadeia de fornecedores e estabelecer planos para que aconteçam em um período curto de tempo", afirmou, durante o comitê de sustentabilidade da Amcham - São Paulo, no dia 17/10.

O CEO conta que, em 2010, a empresa fez um mapeamento para definir algumas prioridades dentro do assunto sustentabilidade. Além da carne bovina, a empresa tomou ações para pensar no fornecimento das carnes de frango e peixe, óleo de palma e embalagens. E a companhia já tem ações encaminhadas no país. Por exemplo, as embalagens de papel em todos os restaurantes do Brasil são 100% certificadas pela Forest Stewardship Council (FSC), que dá um selo que garante que a produção das embalagens realiza manejo florestal sustentável econômica, social e ambientalmente. A empresa atingiu o objetivo seis anos antes da meta, marcada para 2020.

Camargo considera que colocar o cliente no centro dessa discussão é fundamental - por isso, a empresa realiza mais de um milhão de pesquisas com clientes a cada ano. "Sabemos que temos um cliente menos tolerante, que quer saber mais sobre a origem de nossos produtos. Então não só nos preocupamos em fornecer o alimento, mas sim explicar de onde vêm aqueles ingredientes", diz. Por isso, uma das iniciativas da empresa é o Programa Portas Abertas, em que os consumidores são convidados para entrar na cozinha do restaurante e observar de perto a produção dos lanches. O programa já levou mais de 2 milhões de consumidores para dentro das cozinhas em toda a América Latina.

 Por conta do tamanho da empresa, Camargo identifica que há um desafio de integrar ações de sustentabilidade entre os países. A escala global exige muito planejamento com bastante antecedência. "Dentro do sistema, temos líderes de negócio que cuidam da sustentabilidade em diversas regiões e que se reúnem de maneira periódica para estabelecer os planos de longo prazo. Não é fácil, porque cada região está em um momento diferente, até cultural, de compreensão do que é a sustentabilidade. Mas estamos progredindo", garante.

Além de um processo de conhecimento da empresa e planejamento a longo prazo, a concretização desses projetos é uma das partes mais importantes - não adianta a ideia ficar na matriz e não acontecer dentro dos restaurantes, segundo Camargo. "Quando a gente pensa em um negócio que quer estar sempre servindo as pessoas, que é o caso do McDonald's, não tem como pensar de outra forma além da perenidade e sustentabilidade da organização, no sentido mais amplo possível. Conhecemos nossa responsabilidade pelo tamanho que temos e estamos dispostos a colaborar e influenciar nesses processos", finaliza.

registrado em: