Santander, Votorantim e Image One conquistam Prêmio Eco em Processos

por giovanna publicado 10/11/2010 19h47, última modificação 10/11/2010 19h47
São Paulo – Companhias implementaram mudanças levando em conta atributos de sustentabilidade.

O Santander, a Votorantim e a Image One são as empresas reconhecidas pelo Prêmio ECO 2010 na categoria Sustentabilidade em Processos. Os trabalhos apresentados por essas empresas têm caráter inovador, tema central da premiação desde o ano passado. Elas alterações em processos ou políticas de negócio, passando a levar em conta atributos de sustentabilidade.

Melhores práticas

O Banco Santander foi premiado por adotar um processo de engajamento de stakeholders pioneiro no mercado empresarial brasileiro: o Espaço de Práticas em Sustentabilidade. O objetivo é mobilizar a sociedade, especialmente as organizações que fazem parte da cadeia de valor da instituição, para inovar na maneira de fazer negócios, buscando integrar lucratividade, cuidado com o meio ambiente e promoção do bem-estar social.

Além de engajar clientes e fornecedores em palestras e cursos presenciais, o Espaço de Práticas oferece um portal na internet com conteúdo educativo, de acesso livre, com cursos online, videochats, banco de casos práticos, blog, notícias e biblioteca relacionados à sustentabilidade.

“O Espaço de Práticas foi criado em dezembro de 2007, quando percebemos que era hora de compartilhar o que já tínhamos aprendido sobre a adoção da sustentabilidade na gestão e nos negócios. Naquela época, recebíamos muitos pedidos de outras empresas para apresentarmos nosso case, então decidimos fazer isso de forma estruturada”, explica Sandro Marques, gerente executivo de Desenvolvimento Sustentável do banco.

Segundo Marques, desde 2007, participaram do curso presencial “Sustentabilidade na Prática: Caminhos e Desafios”, 3414 lideranças de 1985 organizações clientes e fornecedoras e, nesse período, já são mais de 5,5 milhões de visitas ao site. 

O Santander realiza pesquisas qualitativas para dimensionar a evolução da efetividade com que as práticas de sustentabilidade são adotadas pelas organizações. Em um ano, a adoção e a divulgação de políticas ambientais por parte das empresas saltaram de 26% (do total de participantes do levantamento no início do curso, em março de 2009, até março de 2010) para 62%. A existência de programas de coleta seletiva passou de 50% para 66%, e o conhecimento sobre o impacto provocado por todo o ciclo de vida dos produtos e serviços subiu de 40% para 59%.


“Estar entre os vencedores do Prêmio ECO é muito importante para o Santander, pois mostra que a sociedade está reconhecendo nossas práticas”, comemora Marques.

Comunidade envolvida

A Votorantim Cimentos, com apoio do Instituto Votorantim, desenvolveu o projeto Conselheiros Comunitários, que visa estreitar o relacionamento da companhia com seus públicos de interesse, que colaboram para a mitigação de impactos locais, auxiliam na gestão de riscos e estimulam o desenvolvimento da cadeia de fornecedores locais, além de atuarem como agentes de transformação da realidade socioeconômica. Os grupos de conselheiros são constituídos por representantes da empresa, integrantes do poder público e lideranças comunitárias.

“São canais abertos de comunicação e a empresa se coloca como coparticipante da solução de problemas da sociedade”, enfatiza Maria Helena Calado, gerente de Relacionamento Corporativo do Instituto Votorantim.

Os projetos pilotos foram instituídos em laranjeiras, em Sergipe; Itaú de Minas, Minas Gerais; e Sobradinho, Distrito Federal. Neste ano, começaram a atuar os Conselhos Comunitários nas unidades de Rio Branco do Sul, no Paraná; e Vidal Ramos, em Santa Catarina. O objetivo é que, até 2013, o projeto seja replicado em todas as linhas de operação da Votorantim Cimentos.

As ações implementadas pelos Conselhos Comunitários são, geralmente, de curto prazo e têm ligação com a cadeia de negócios da companhia – como incentivo à qualificação da mão de obra, ampliação de redes de empreendedorismo e fortalecimento da cadeia de fornecedores. Para a comunidade, há novas oportunidades de negócio e geração de renda e, para a companhia, isso representa um ganho de competitividade.

“O Prêmio ECO é o reconhecimento de que estamos no caminho certo. A beleza do projeto de conselheiros comunitários é que é simples e, ao mesmo tempo, traz resultados importantes ao engajar os stakeholders”, afirma Maria Helena.

Documentos digitalizados

A Image One foi agraciada com o Prêmio ECO por se destacar na Gestão Ecológica de Documentos. Ao desenvolver a solução de digitalização registrada de documentos, isto é, a trasladação do documento original, em papel, para digital registrado em Catório de Registro de Títulos e Documentos para guarda permanente, conservação e consulta, preservadas as características originais, com valor jurídico de original autêntico.

“É uma honra para a Image One ser contemplada com o Prêmio ECO pela seriedade da Amcham e pelo nível das empresas participantes. Fomos reconhecidos por nossos esforços pioneiros”, destaca Alexandre Maiali CEO da companhia.

Essa inovação permitiu redução na geração de documentos em papel, tanto originais quanto cópias; diminuição no espaço físico de instalações da empresa; e, ao eliminar malotes e logística física, a companhia contribuiu para a melhoria da qualidade do ar. Além disso, parte dos papéis foi repassada para empresas especializadas em triturá-los, transformá-los em celulose pura, e essa matéria prima foi vendida para companhias de embalagens. O dinheiro arrecadado com a venda da celulose a partir da gradual migração dos documentos físicos para digitalizados foi doado para instituições de caridade.

A prática da Image One foi transformada em oferta em seu portfólio de negócios. “A digitalização é um fato irreversível não apenas pelos efeitos da globalização, que exigem contratos online, mas também por força de questões legais e tributárias no País”, aponta Maiali.

 

 

registrado em: